Squarimension S2 - E6

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Squarimension S2 - E6

Mensagem por Alexandre em Sab Ago 27, 2011 12:08 am

Eu disse que chegava sábado, e chegou.

Continuando a saga em que Simon chega a uma cidade deserta e abandonada... Parte 2/4 do episódio inspirado em Silent Hill.

Spoiler:
TEMPORADA 02 - EPISÓDIO 06


TERROR NA CIDADE ABANDONADA PARTE 2



Simon passou por uma cerca, e entrou na cidade. Logo no inicio, encontrou uma rua com muitas casas abandonadas, algumas
rachaduras no chão, e uma névoa intensa que mal lhe permitia enxergar a sua frente.


SIMON: Ray? Cadê você? Ray!!


Simon foi até o fim da rua, iluminando o caminho com a lanterna. No fim, pegou a rua da esquerda e continuou seguindo.


SIMON: Que cidade é essa? Ray!


A voz de Simon ecoava pela cidade. Era como se ele estivesse totalmente sozinho.


SIMON: Que lugar terrível... Parece que a qualquer momento um monstro vai sair dessa névoa...


Simon continuava caminhando perdido pelas ruas. Até que resolveu parar em um banco em frente a uma praça.


SIMON: ...Desisto! Esse lugar é um labirinto de ruas abandonadas... Espero que Ray esteja bem, mas não dá pra procurá-la
desse jeito, e...


De repente, Simon ouviu uma voz vindo de trás dele.


HOMEM: Parado! Parado aí mesmo!


Simon se levantou assutado. Ao olhar para trás, encontrou um homem parado, apontando uma arma para Simon.


HOMEM: Não se mexa! Identifique-se!


Simon levantou os braços.


SIMON: Calma! Calma, meu nome é Simon! Eu estou desarmado!


O homem abaixou a arma.

Homem: Simon... O que está fazendo aqui?
SIMON: Eu ia perguntar a mesma coisa pra você! Acho que nós dois estamos perdidos, não?


O homem guardou sua arma.


HARRY: Desculpe... Acho que me precipitei... Meu nome é Harry Mason.
SIMON: Harry... Ok, eu estou perdido nessa cidade! Meu carro sofreu um acidente e eu acordei nessa cidade. Minha amiga sumiu e eu estou procurando por ela!


Harry estranhou.

HARRY: Estranho... Minha experiência é parecida... Também tive um acidente de carro e minha filha desapareceu nessa cidade.
Quem você disse que estava procurando?
SIMON: Minha amiga. O nome dela é Ray... Ela tem cabelos roxos compridos, olhos azuis, e estava usando...
HARRY: Desculpe, mas acho que não vi ninguém nessa cidade... Quero dizer, não humanos...


Simon se espantou.

SIMON: Como assim não humanos?
HARRY: Então você ainda não encontrou nenhuma... Criatura?
SIMON: Não! Eu acabei de chegar aqui.
HARRY: Então acho melhor andarmos juntos... Eu já tive algumas experiências aqui, e você não vai poder andar sozinho desarmado.


Simon não viu nenhum problema.


SIMON: Tudo bem... Você disse que estava procurando sua filha?
HARRY: Sim... Ela desapareceu após o acidente.
SIMON: ...Quanta coincidência...



=====================================================================================



Em outra parte da cidade, Ray caminhava pelas ruas.


RAY: Simon! Simon!! Que droga, onde ele foi parar? E que névoa é essa?

Ray andava pelas ruas com um pequeno campo de visão, pois não havia como iluminar o caminho. Até que resolveu entrar em uma das lojas abandonadas da cidade.


RAY: Talvez algo aqui possa me ajudar.


Ao entrar, encontrou uma lanterna em cima de uma das mesas de madeira. Pegou a lanterna e tentou acender, mas não funcionou. Em seguida, abriu a lanterna e checou as pilhas. Ao fechar, bateu a lanterna algumas vezes na mesa, e a mesma acendeu,


RAY: Menos mal... Quem está aí?

Ray percebeu um vulto correndo ao redor da loja. Tentou acompanhar com a lanterna mas não conseguiu ver direito. Logo, o
vulto foi para trás do balcão, e Ray notou que não havia saída.


RAY: Sem saída! É melhor dizer quem está aí!

Ao se aproximar do balcão, Ray ouviu algo que parecia um choro.


RAY: Ei... Quem é você?


Ao se aproximar, Ray percebeu uma pequena garota abaixada atrás do balcão, muito assustada.

?????: Afaste-se... Por favor, não faça nada comigo!
RAY: Calma, eu não vou fazer nada! Vamos, levante-se! Quem é você?
CHERYL: ...Cheryl...
RAY: Eu sou Ray. Estou procurando meu amigo Simon nessa cidade! Mas e você, o que faz aqui?
CHERYL: Eu... Me perdi do meu pai!


Ray notou semelhanças entre as histórias.

RAY: Você não sofreu um acidente de carro, sofreu?
CHERYL: ...Como você sabe?
RAY: Algo semelhante aconteceu comigo...


Ray apontou a lanterna para a saída.


RAY: Melhor sairmos daqui.
CHERYL: Mas eu tenho medo dessa névoa...
RAY: Não se preocupe, não tem nada lá fora!


Ambas saíram da loja.


RAY: Vamos ver se achamos o Simon ou seu pai, ok? E não saia de perto de mim!
CHERYL: ...Ok...


Ray e Cheryl começaram a avançar pelas ruas, quando de repente, ambas ouviram um chiado.


CHERYL: O...O que é isso?
RAY: É o meu celular, mas... Eu pensei que não havia sinal aqui, e...


Ao olhar para frente, ambas viram uma criatura com forma humana se aproximando. Porém, era totalmente coberta de pele, e não possuia rosto.


CHERYL: R...Ray, o que é aquilo?
RAY: Eu não sei... Mas acho que nunca vi algo parecido...


A criatura começou a se aproximar. Cheryl correu para trás de Ray, se protegendo.


RAY: Pare! Pare imediatamente!


O ser parecia não ouvir Ray.


RAY: Bem, eu avisei...


Ray juntou as mãos e criou uma esfera elétrica. Em seguida, disparou contra a criatura, que começou a se contorcer, se
desintegrando logo em seguida.


RAY: Que coisa estranha é essa...?


Cheryl saiu de trás de Ray.


CHERYL: O seu celular... Parou...


Ray tirou o celular do bolso e notou que o ruído desapareceu.


RAY: Parou mesmo... Parece que ele reagiu com aquele monstro... Pode ser útil.


Ray colocou o celular de volta no bolso.


RAY: Vamos, esse lugar está começando a me parecer perigoso...


Cheryl ainda estava meio assustada com o monstro, mas continuou seguindo Ray.


==========================================================================================


Simon e Harry continuavam vagando pela cidade procurando Ray e Cheryl.


SIMON: É incrível, mas parece que quanto mais andamos, mais perdidos ficamos...
HARRY: Não podemos perder a esperança ainda...


Ao andar mais um pouco, avistaram algo se aproximando.


SIMON: Ei, o que é aquilo?


Harry saltou para frente de Simon.


HARRY: Cuidado! Era disso que eu tava falando.


Ao olhar para cima, Simon não acreditou no que viu. Era um pequeno pterodáctilo voando e berrando sobre sua cabeça.


SIMON: Eu não acredito nisso!


Harry mirou com cuidado e atirou contra o pterodáctilo. O mesmo deu um grito e caiu no chão, perto de Simon. Simon se aproximou,
mas o pterodáctilo se desintegrou.


SIMON: ...Acho que eu não vou mais chupar aquelas balas que vêem em envelope preto...
HARRY: Cuidado Simon, eu já topei com outros... E o pior é que minhas balas estão acabando...
SIMON: Vamos procurar algum lugar pra se esconder! Essas ruas são perigosas demais!
HARRY: Mas onde?

Simon encostou na parede de uma velha casa.

SIMON: ...Sei lá... Deve ter algum lugar que podemos... Ei, o que é isso?

Simon começou a olhar para o chão.

HARRY: O que foi?

Simon pegou um objeto caído na grama.


SIMON: É uma chave... Aqui diz: 205.

Harry raciocionou.


HARRY: É uma chave de hotel perdida. Vamos, talvez podemos nos proteger lá.
SIMON: Mas e quanto a Ray e Cheryl?
HARRY: ...Primeiro temos que procurar algo que possa nos ajudar.
SIMON: ...Tem razão... Vamos ver se encontramos esse hotel.



CONTINUA


Última edição por Alexandre em Qua Fev 15, 2012 8:19 pm, editado 2 vez(es)

Alexandre
Rank 125 - Super Mario Galaxy 2
Rank 125 - Super Mario Galaxy 2

Mensagens : 6855
Data de inscrição : 04/05/2010
Idade : 24
Localização : Cordeiropolis, SP

Ver perfil do usuário http://smash-club.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Squarimension S2 - E6

Mensagem por Convidad em Sab Ago 27, 2011 11:15 am

CARAIOO
CADE A PARTE 3??????
EU PRECISO LER A PARTE 3!!!!!!!


Na boa ale,muito boa a história.

Convidad
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum